Buscar
  • Fernanda Damy Haybittle

Por que é tão importante analisar sua ideia de negócio com profundidade?





O mundo do empreendedorismo feminino é um terreno fértil para a criação de negócios com muito talento, alma, sensibilidade e conexão com a ancestralidade.

A mulher é naturalmente multipotencial (uma palavra que está cada vez mais na boca de quem empreende) e por isso pode, se quiser, explorar mais de um talento como ramo de negócio.

Ocorre que, por mais interessante que seja a atividade escolhida, nem por isso há um mercado consumidor para ela. E caso haja é importante entender o que você espera dessa ideia e a razão pela qual decidiu, finalmente, abrir uma empresa e criar um negócio do zero.


Pensando em cenários distintos

Vamos imaginar que você sabe fazer compotas e geléias deliciosas, com receitas que vem passando de geração em geração na sua família. Para saber se este é o seu caminho, é importante definir processos de produção e comercialização, mão-de-obra, fonte de recursos e por aí vai.

Geléia é um produto largamente consumido no mundo todo e são os seus diferenciais que definirão sua permanência no mercado: o mercado consumidor já existe, a geléia faz parte do cardápio do café da manhã, agrada adultos e crianças há centenas de anos. Até aí, parece lógico, certo?


Agora pensemos que sua ideia de negócios seja criar roupas de tricô feitas à mão para pets (cães e gatos). As lãs e linhas são de excelente qualidade, seu processo é 100% manual, a embalagem é feita de materiais sustentáveis e a distribuição é feita por você, de bicicleta, para não gerar mais poluição nem trânsito no seu bairro, colaborando para o meio ambiente e incentivando novas formas de mobilidade urbana.

Parece tudo incrível, com exceção do fato de que cães e gatos se coçam e, com as unhas mais compridas, desfiarão as roupinhas de lã em minutos.

O dono do pet, que pagou mais caro para ter um produto artesanal e sustentável, vai ver seu dinheiro escorrer pelo ralo no primeiro uso da tal roupinha. Vai repetir a compra? Dificilmente. Indicar aos amigos? Menos ainda.

Além disso, todas as suas escolhas de qualidade e sustentabilidade são excelentes mas, em pequena escala, encarecem muito a produção e o custo final para o consumidor,, fazendo com que seu produto custe quase duas vezes o valor de uma roupinha de malha vendida diretamente no pet shop e com durabilidade similar à de camisetas de humanos.


Há quem vá pagar pela sua roupinha de lã? Sim. Há pessoas suficientes dispostas a pagar a ponto de sua ideia virar um negócio do qual você possa extrair seu sustento? Dificilmente.

Pesquisar é fundamental

Estudar o produto que você quer fazer e o mercado em que você quer atuar é muito mais importante do que o produto escolhido em si. É através desta análise que você poderá evitar desperdício de tempo, dinheiro e energia numa coisa que não vai funcionar.


Uma alternativa no caso das roupinhas de lã idealizadas para pets seria esta empreendedora fazer acessórios de lã para homens e mulheres, vender em pequena escala e estruturar a atividade para ser um complemento de renda, e não sua atividade profissional. Ainda assim, uma nova análise de mercado se faz necessária e assim é sempre que você precisa alterar o produto ou serviço que pretende oferecer.


Entenda seus motivos

Vamos voltar à geléia: seu produto é incrível, você foi aceita para vender em mercados gourmet nos bairros mais elegantes da cidade, vai precisar expandir e contratar mão de obra para dar conta da demanda em franco crescimento.

A geléia é tão boa que há quem se interesse em investir financeiramente na sua ideia de negócios.

É isso o que você quer?

Foi para isso que você começou a empreender?

Já se imaginava grande e tem o perfil para gerenciar empresas de maior porte, funcionários, produção em larga escala? Perfeito. Esta é sua chance.


Mas se você começou e empreender para poder viver do seu trabalho, num ritmo mais desacelerado e com mais qualidade de vida? Talvez esse investimento e este ritmo acelerado não sejam para você, então vale readequar expectativas e necessidades quando oportunidades assim aparecem.

O que não dá é para migrar para o empreendedorismo em busca de uma vida mais calma e se ver correndo ainda mais do que corria quando trabalhava para grandes corporações. Não faz sentido.


gif


Num país onde as possibilidades de emprego formal são mesmo mais escassas, empreender parece lógico e, felizmente, temos muito para crescer neste terreno.


Definir logo de cara o ritmo que você quer, entender suas necessidades financeiras e objetivos de vida são atitudes necessárias para que você já entre nessa jornada com pé direito, sabendo quais limites desenhou para si mesma e para seu negócio, de forma a respeitar quem você é e o que você quer para si, independente do tamanho da empresa que você vai criar.

Quem dá o tom é você e isso precisa ficar claro ao longo de todo o processo - para você e para os demais envolvidos na sua operação.


1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo